18.2 C
fpolis
18.2 C
fpolis
quinta-feira, 18 agosto, 2022

Mexer no rádio pode modificar a audiência

Últimas notícias

As mudanças na programação da CBN de Florianópolis deverão trazer resultados positivos de audiência, especialmente em três momentos: o Notícias na Manhã, das 9 às 11 horas, o Debate Diário, no horário tradicional das 13 horas, e o Conversas Cruzadas, à tarde.

Na manhã, Raphael Faraco devolveu jornalismo com ritmo e presença nas ruas ao horário que andava perdido em divagações e cansativas participações dos chamados “onvinternautas”, geralmente os mesmos. O repórter Cristian Delosantos, contratado há pouco, cumpriu dois objetivos: desarticular a concorrente Jovem Pan News e colocar as ruas no ar.

Já o debate esportivo ganhou vida extra ao voltar ao horário em que pode ser mais ouvido por interessados em futebol e deixar às 11 horas da manhã para onde quase foi sepultado. Quanto ao Conversas Cruzadas pode acrescentar audiência na medida em que Renato Igor debater temas polêmicos.

 

Outro Faraco

As outras mexidas na programação da CBN são mais do mesmo: produtos com a mesma formatação, com nomes e apresentadores diferentes.

Ao meio-dia, houve uma troca significativa, pois a rádio abandou o CBN Brasil de Carlos Alberto Sarbenberg – que, agradável ou não, atualizava as principais informações do dia – e colocou um noticiário esportivo com Rodrigo Faraco. Esse estilo de programa poderia ser apresentado por qualquer repórter e é exagerado – e desvalorizador – colocar ali um comentarista esportivo.

 

Mexe mexe

Acossada pela Jovem Pan News TV, a CNN fez uma espécie de cavalo de pau, mexendo completamente na grade, trocando de horários programas e apresentadores.

Esse tipo de ação radical corre risco, pois o público que vai agregar terá que ser maior do que os que não encontram mais os programas nos horários que estavam acostumados.

Entre as movimentações, tirarem o ex-Globo Márcio Gomes do confronto diário com “Os Pintos nos Is”, às seis horas da tarde, o mais bolsonarista dos programas bolsonaristas da Pan. No lugar – e em vários outros horários – colocaram apresentadores sem a marca da experiência jornalística.

 

RBS

O Jornal Zero Hora divulgou o balanço do grupo gaúcho RBS de 2021, destacando um lucro líquido de 70 milhões de reais, puxado principalmente por TV e rádio, com apoio do digital. O ano terminou com caixa 292 milhões em baixa e uma dívida de 147 milhões.

 

Palhoça

[media-credit name=”Reprodução” align=”alignnone” width=”180″][/media-credit]

Difícil imaginar que no Oeste catarinense existam proprietários de imóveis de Palhoça, na Grande Florianópolis. Por isso surpreende este anúncio da prefeitura publicado em um portal do Oeste chamando para pagar o IPTU de Palhoça.

 

Tempo

[media-credit name=”Reprodução” align=”alignnone” width=”180″][/media-credit]

Não há mais dúvidas: a saída de Leandro Puchalski derrubou a qualidade da previsão do tempo na NSC. Tanto no prognóstico quanto na ilustração gráfica. Tudo ficou pobre e incerto.

 

Invenção

[media-credit name=”Reprodução” align=”none” width=”300″][/media-credit]

A SporTV leva o troféu invenção pela tal “linha do tempo” colocada à esquerda na tela para informar o andamento do jogo. Ineditismo mundial.

Claiton Selistre
Publisher, colunista e owner do Portal Making Of, é jornalista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Foi diretor de Jornalismo por 25 anos da RBS TV, TVCom e Rádio CBN/Diário, além de coordenador do comitê editorial da RBS em Santa Catarina. Antes atuou na Rádio e TV Gaucha do grupo RBS e em redações de jornal, rádio e tv do grupo Caldas Jr. em Porto Alegre. Foi também repórter da na Sucursal do Jornal do Brasil. Planejou e Coordenou coberturas multimídia nas Copas do Mundo de Futebol na Alemanha, Argentina, Espanha, México, Itália, Estados Unidos, França e Japão/Coréia. Dirige a Making of há sete anos.
Mais notícias para você
Últimas notícias

ROCK & VINHO, VINHO & ROCK

Se o marketing é a alma do negócio, o prêmio de sacada marketeira da década vai para o grupo...