Portal Making Of

Jornalista do agro será homenageado no 15º Encontro da Imprensa Catarinense

Jornalista Celívio Holz é grande contribuidor da comunicação rural catarinense. (Foto: Divulgação/Marco Santiago)

A comunicação rural barriga-verde teve, nos últimos 50 anos, uma intensa contribuição do engenheiro agrônomo e jornalista Celívio Holz, razão pela qual receberá homenagem da Associação Catarinense de Imprensa (ACI) no 15o Encontro da Imprensa Catarinense que será realizado no dia 3 de agosto deste ano, em Chapecó. O anúncio foi feito hoje pela presidente da ACI Déborah Almada e pelo coordenador do evento Marcos Bedin.

A iniciativa é da ACI/Casa do Jornalista e da agência MB Comunicação.

O Encontro da Imprensa Catarinense é destinado exclusivamente para os profissionais da comunicação. Participarão cerca de 500 profissionais de todos os segmentos, entre jornalistas, radialistas, radiodifusores, publicitários, relações públicas, mídias, docentes, colunistas, influenciadores digitais, cinegrafistas, técnicos, empresários e proprietários de meios de comunicação.

Celívio Holz nasceu em General Câmara (RS) dia 02/11/1950, filho de Frederico e Olívia Holz. Graduou-se em Agronomia pela Universidade Federal de Santa Maria, em 1973. É viúvo de Adyva Stein Holz com quem foi casado durante 48 anos e pai de 2 filhos: Morgana Stein Holz (in memoriam) e Celívio Holz Júnior; avô de Thaelis Holz Guasco.

Foi extensionista rural da Acaresc, no período de 1974 a 1978 e coordenador estadual de comunicação da Associação de Crédito e Assistência Rural do Estado de Santa Catarina de 1978 a 1988. Obteve o título de mestre em Jornalismo pela Universidade de Wisconsin, cidade de Madison (EUA), no período de 1988 a 1990. Foi diretor de comunicação e marketing da Epagri, produtor e apresentador de programas de rádio e televisão desde 1974. Criou, editou e apresentou o programa Campo & Lavoura, da RBS TV, de 1981 a 1999. Foi repórter do programa Bom Dia Santa Catarina, na RBS TV, durante oito anos, de 1991 a 1999.

Atualmente, dirige a CH Produções e Eventos, em Florianópolis, e apresenta o programa de TV Cooperativismo em Notícias, da Fecoagro/SC.

Também é produtor de vídeos históricos; coordenador e autor do livro “Família Rural: Uma Experiência de TV Em Santa Catarina”; editor e revisor do livro sobre a história do CTG Laço do Bom Vaqueiro, de Brusque e, ainda, autor do livro “MTG-SC – 40 anos preservando os valores tradicionalistas”. Escreveu “Jubileu de Prata na Comunicação Rural em Santa Catarina”, sobre a experiência de Osman Gomes Santos; e “O Braço Direito do Braço do Norte – biografia de Edésio Oenning”.

No tradicionalismo gaúcho foi patrão geral do grupo de arte e cultura Ilha Xucra; diretor cultural e artístico do MTGT-SC; diretor cultural, vice-presidente e presidente da Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha, além de criador e padrinho da Confederação Norte-americana do Tradicionalismo Gaúcho Brasileiro, em Framingham (EUA).

Compartilhe esses posts nas redes sociais:

Terra anuncia novas contratações

O Terra reforça seu time comercial com a chegada de Michele Lopes Gama e Guilherme Gonsales, ambos com passagens por grandes players do mercado como

Leia mais

cesta básica, verduras, cebola, abóbora,

De olho nos preços e no imposto de renda

Prepare o bolso! A variação de preço nos produtos da cesta básica pode ultrapassar 300%, sobre o imposto de renda para quem recebe 1,5 salários-mínimos e exportação recorde. Na coluna de janine Alves

Daniel Alves é detido na Espanha

O lateral direito Daniel Alves foi detido hoje, 20, em Barcelona, na Espanha, por conta de uma suspeita de agressão sexual. O jogador foi preso

Foto: Fernando Haddad (ministro da Fazenda) e Marina Silva, (Ministra do Meio Ambiente) no World Economic Forum, em Davos na Suiça / Crédito: reprodução.

O Brasil voltou!

O Fundo Monetário Internacional se colocou à disposição para auxiliar o Brasil na escolha de uma âncora fiscal “crível” e “sustentável” e a volta do Brasil ao cenário internacional. Na coluna de Janine Alves

Um céu de divas

Dizem que saudosismo é sinal de velhice e não devemos cultivá-lo. Mas, ter saudades de uma época, que às vezes nem conhecemos, é permitido? Espero