15.7 C
fpolis
15.7 C
fpolis
sexta-feira, 1 julho, 2022

Justiça de SC vai investigar conduta de juíza que negou aborto legal

Últimas notícias

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC) divulgou uma nota informando que instaurou pedido de análise da conduta da juíza Joana Ribeiro Zimmer, que negou aborto legal a uma menina de 11 anos vítima de estupro.

“A Corregedoria-Geral da Justiça, órgão deste tribunal, já instaurou pedido de providências na esfera administrativa para a devida apuração dos fatos”, afirma o TJ-SC em nota à imprensa. Diz ainda que o processo está sob segredo de Justiça, “pois envolve menor de idade, circunstância que impede sua discussão em público” e que não haverá manifestação do órgão sobre o caso, além do que foi dito no comunicado.

O caso ganhou repercussão ontem, 20, após reportagem dos sites Portal Catarinas e The Intercept ontem, 20. Veja aqui.

Vítima de estupro no começo do ano, a menina descobriu estar com 22 semanas de gravidez ao ser encaminhada a um hospital de Florianópolis, onde teve o procedimento negado. O hospital informou que pelas normas da unidade o procedimento poderia ser feito até a 20ª semana de gestação e exigiu uma autorização judicial.

A juíza, no entanto, encaminhou a menina a um abrigo para evitar que faça o aborto. Em audiência, Zimmer afirma que o aborto após esse prazo “seria uma autorização para homicídio”. Perguntou, ainda, se a garota poderia “esperar um pouquinho” para que o bebê pudesse nascer e ser adotado por outra família.

 

Mais notícias para você
Últimas notícias

Todo mundo é mais criativo que você?

Enquanto os colegas postam campanhas incríveis, reconhecidas em festivais, o job sobre a sua mesa parece não render –...
.td-module-meta-info { font-family: 'Open Sans','Open Sans Regular',sans-serif; font-size: 14px !important; margin-bottom: 7px; line-height: 1; min-height: 17px; } .td-post-author-name { font-size: 14px !important; font-weight: 700; display: inline-block; position: relative; top: 2px; }