Portal Making Of

VAR, vitória do Avaí no Clássico e o legado de Marco Antônio Martins

Foto: Reprodução/NSC TV

1 – Inocentes

O Figueirense começou a perder o jogo quando aceitou que a arbitragem tivesse ajuda do VAR. O único beneficiado era o visitante. O VAR garantiu a expulsão e na segunda consulta, Ramon Abatti Abel ficou em duvida e aceitou a interferência sem conversar com a auxiliar. Se não tivesse VAR: Tito não seria expulso e o segundo gol do Avaí não subiria no Placar Eletrônico.

 

2 – Marco Antônio deixou um legado

Foto: Divulgação/FCF

Advogado sabe que réu não pode se dirigir ao juiz; treinador não deve entrar no gramado para cumprimentar o árbitro e outra norma: se os jogadores se cumprimentam quando entram em campo, no final devem se cumprimentar. Como dizem: tudo que ocorre no jogo, fica no gramado.

 

3 – Renda e Público

Fotos: Patrick Floriani/FFC e Fabiano Rateke/Avaí F.C.

Mais 15.647 foram assistir Figueirense 1 x 2 Avaí no Scarpelli. Antigamente com os 10 mil da “coloninha”, demolida e, a venda de ingressos regulado pela PM aos torcedores visitantes. Se você olhar cabe uma orientação e naquele vazio onde ficava a casa do seu Raul, poderia ser ocupado por famílias, que não faltam com respeito e torcedores eram qualificados de desportistas e não selvagens.

 

4 – O “sabidão” sem juramento

Veja a foto abaixo e que coragem. Eu como tenho fobia suei as mãos.

Foto: Reprodução/Internet

Mas como tudo depende do ângulo que você escolhe, a ilusão de ótica que transmite coragem e confiança, desaparecem quando descobre que foi enganado. Assim também ocorre com as imagens do VAR, como as brigas de Van Damme, se exibindo com Jô Soares.

 

5 – Os argumentos

Foto: Reprodução/NSC TV

O árbitro sempre erra contra o nosso clube. O adversário não cansa, sobrevive. Dizer que estão cansados não se justifica: os dois ficam cansados. Mas quando o narrador e os comentaristas escolhem um deles, só um se cansa e, justifica que o gramado é ruim, é ruim para os dois.

 

6 – Impedimento, interferiu na jogada

Foto: Reprodução/NSC TV

Quando o numero 20 do Avaí, Gabriel Dias cruzou a área pequena, atrás da defesa do Figueirense e na frente do goleiro Thiago, ele interferiu na jogada. O Ramon deveria primeiro consultar a auxiliar e depois o D Alonso. Pois quando vi na TV o segundo gol do Avaí contra o Figueirense, me lembrei desse do Leipzig contra o Real Madri. O D Alonso errou.

Foto: Reprodução/SBT

 

7 – Não agiu como Arbitro da FIFA

Foto: Reprodução/NSC TV

Apesar de usar o distintivo, mas seus auxiliares e os ajudantes de VAR não eram FIFA. Ele consultou arbitro menos competente e não assumiu a decisão da sua auxiliar.

 

8 – O Comportamento

Foto: Reprodução

Olhem o que diz o regulamento. Não se justifica as injúrias e objetos jogados para dentro e fora da cabine de transmissão. Quem eles e elas representavam? Não estavam ali exercendo um direito concedido, mas com o direito de defender a bandeira do Avaí. Este encontro já ocorreu comigo, quando virei personagem do programa Fantástico em matéria elaborada por Cacau Lino. Da próxima vez peçam segurança.

 

9 – Entraram e saíram abraçados

Foto: Reprodução

Burse saiu triste pelo destempero de um dos seus jogadores: Tito, que entrou no supermercado sem saber que Avaí tinha câmeras de seguranças por todos os lados. O “sabido” até alertou que os jogadores iriam controlar as emoções, mas Tito não soube. O Setubal diz que foi para a Torcida, o Tullo Cavallazzi Filho diz que foi para a auxiliar. Para um ou para o outro foi punido pela inocência e aprendeu uma lição. O outro, Barroca saiu alegre.

 

10 – Importância

Quem cultiva o futebol científico, como os russos cultivavam em 1958 – deve estar embevecido com a qualidade científica dos gramados onde se joga futebol no Brasil. Ah, lembre: no verão faz calor e no inverno faz frio.

 

11 – Traves

Foto: Reprodução/NSC TV

Não existe coisa mais varzeana, que denigre a imagem do clube, do que uma trave de treinamento dentro do campo de jogo. Ela está lá por preguiça, ou por falta de quem manda.

 

12 – Chororô do Criciúma

Está desviando o foco da derrota acidental para o Brusque, pois continua líder, e não perdeu por causa do juiz, mas por causa com um gol contra bizarro. Ao invés de reclamar do erro do seu jogador, colocou a culpa na arbitragem.

 

13 – Vascaíno

Você que torce pelo Vasco, ontem venceu o Botafogo por 4 a 2 e você só vê o time na televisão, quanto custará ver um jogo do Vasco pelo Brasileirão 2024 em Criciúma ou Curitiba? Então porque estão reclamando do preço cobrado pelo Marcílio Dias? Sai mais barato ir a Itajaí do que a Curitiba ou Criciúma.

 

14 – Basquete na Praça

Vocês precisam ver um grupo de garotos jogando basquete, todas as tardes, numa quadra da Praça Paulo Fontes em frente à igreja Nossa Senhora de Fátima no Estreito. Fiquei olhando e “vi” meus parceiros do passado quando tinham a idade deles. Um me fez lembrar o Dr. o Simão, outros que não voltavam pra marcar, o Aldinho, pai do Guga: “pega o meu…” Deu uma saudade e inveja.

 

FIM

 

Os colunistas são responsáveis por seu conteúdo e o texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal Making of.

Compartilhe esses posts nas redes sociais:

Não existe Glória sem Honra

1 – Honra e Glória A glória sem honra na vale nada. Porque a honra se alcança pelas virtudes, talentos, boas ações e por características excepcionais. Faltou tudo

Minha avó é uma bicicleta

1 – Minha avó é uma bicicleta Este é o primeiro lance que os dirigentes e executivo do Avaí reclamam, dizendo que o gol não

Não existe Glória sem Honra

1 – Honra e Glória A glória sem honra na vale nada. Porque a honra se alcança pelas virtudes, talentos, boas ações e por características excepcionais. Faltou tudo

Minha avó é uma bicicleta

1 – Minha avó é uma bicicleta Este é o primeiro lance que os dirigentes e executivo do Avaí reclamam, dizendo que o gol não