Portal Making Of

A NSC liberou geral?

Foto: Reprodução/Freepik

Aquelas normas e conceitos que balizam o Jornalismo, e adotadas pela Globo e demais afiliadas, parece que não valem mais na NSC. Liberou geral.

Tudo é possível, desde que traga receita para o canal e dê uma faturamento extra para os seus profissionais, sem que incomodem com aumento de salário.

O NSC Notícias era um último reduto dos cuidados para não misturar jornalismo com comercial. Depois de realizar eventos ano passado com citação dos patrocinadores indiretamente e entrevista com seus representantes, este ano abriu de vez o flanco. Foi o que mostrou a edição de quinta-feira, quando os patrocinadores do campeonato foram nomeados na voz do repórter com imagens.

Foto: Reprodução/NSC TV

E, não por coincidência, nesta segunda-feira Fabian Londero deixa a editoria chefe do jornal que apresenta para tratar de projetos especiais.

Aliás, Fabian entrou para  time de jornalistas do canal  que participam de eventos privados mediante cachê conforme registrou em rede social recentemente

 

Leo Coelho

Leo Coelho (Foto: Reprodução/Instagram)

Um sinal de que as coisas estão sendo revisitadas na NSC foi a liberação de Leo Coelho na sexta-feira passada. Há três anos na casa, Léo sempre foi especializado em jornalismo comercial, mas segundo fontes internas estaria trazendo mais resultado para ele do que para a empresa.

No elegante texto de despedida no Instagram, Leo registrou que não faltou empenho dele e da empresa “para adquirirmos os melhores resultados em negócio inédito para mim até então.”    

 

Silêncio

Manda quem pode e obedece quem tem juízo? Há uma minoria silenciosa que está vendo a casa sacudir mas fica quieta. Outra parte, foi convencida que é preciso divulgar o comercial no jornalismo para garantir o pagamento de três salários extras no final do ano, o chamado PPR – plano de participação nos resultados.

 

Bingo

Diz o interlocutor 1: viu aquele apresentador fazendo festa de aniversário?

Interlocutor 2: Vi. Pagando ele faz até bingo.

 

Pior no interior

Ao que parece a NSC está descuidando do conteúdo de suas afiliadas. Em Chapecó e Joinville, os coordenadores estariam mais preocupados em dar palestras e fazer coaching do que cuidar da qualidade.

Em Blumenau, a qualidade do produto virou tema nas redes sociais. A coluna recebeu. por exemplo, esta observação de um leitor local cuja identidade será preservada:

“No Jornalismo nem sempre sinônimo de renovação quer dizer sucesso, tendo em vista o crescimento da concorrência a NSC insiste em uma fórmula que o Blumenauense pouco gosta, com isto a ND agradece. Entre bastidores depois da saída de Adriana Krauss da coordenação o Jornalismo da emissora vem caindo mês a mês, são pedidos demissões, corte de funcionários, mudanças constantes na equipe parece que a aposta de manter a audiência é algo inviável e uma possível mudança de rota já começa a ser ventilada.”

Outra crítica a Blumenau sobre o JA de Blumenau quarta-feira da semana passada: uma entrevista de sete minutos com uma médica sobre as viroses de verão, no qual não falaram por exemplo em banho em água poluída. Clássico formato chamado nos bastidores de enchimento de linguiça.

Foto: Reprodução/NSC TV

 

Conquista

Audiência e credibilidade são conquistas com muito esforço dia-a-dia. Mas, quando cai, é um movimento sem volta.

Os colunistas são responsáveis por seu conteúdo e o texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal Making of.

Compartilhe esses posts nas redes sociais:

Um tiro na eleição americana

Logo após o tiro de AR-15 ter acertado a orelha direita de Donal Trump em comício ontem, 13, em Butler, Estados Unidos, começaram as interpretações

Ibope de rádio: sigam os líderes

A mais recente pesquisa Kantar Ibope de rádio, considerando os meses de maio e junho, mostra que as líderes não foram incomodadas em suas posições.

Eliana chama patrocinadores

Já se viu de tudo em relação a patrocinadores, pois afinal são eles que garantem a existência de conteúdos. Mas acabamos de descobrir que existe

Caça aos cliques

Os portais de internet, dos pequenos aos grandes, se dedicam a técnicas para sensibilizar a busca no Google e impactar as métricas de audiência. São

TV Gaúcha x TV Guaíba

Antônio Britto, jornalista, ex-governador e ex-ministro da previdência, colega dos primeiros anos de profissão, lembrou em recente vídeo sua contratação pela TV Gaúcha em 1978.

Globo erra na escala de narradora

A web pode ser cruel para quem desempenha atividade pública e está exposto a avaliações nem sempre procedentes. Foi o que aconteceu com a narradora

O rádio vive

A coluna, sempre que possível, gosta de acompanhar a audiência de rádio. Embora não sejam dados superlativos como entre os portais de internet, revelam a

Ídolos de barro

Difícil ter ídolos hoje em dia. Na música a safra é terrível. Com raras exceções, as letras são pobres, óbvias, cantoras se destacam pelas roupas

Uma opinião isenta, por favor

Está cada vez mais difícil encontrar uma opinião isenta sobre fatos do nosso dia a dia. Nunca se sabe se opinião que lemos ou escutamos

Um tiro na eleição americana

Logo após o tiro de AR-15 ter acertado a orelha direita de Donal Trump em comício ontem, 13, em Butler, Estados Unidos, começaram as interpretações

Ibope de rádio: sigam os líderes

A mais recente pesquisa Kantar Ibope de rádio, considerando os meses de maio e junho, mostra que as líderes não foram incomodadas em suas posições.

Eliana chama patrocinadores

Já se viu de tudo em relação a patrocinadores, pois afinal são eles que garantem a existência de conteúdos. Mas acabamos de descobrir que existe

Caça aos cliques

Os portais de internet, dos pequenos aos grandes, se dedicam a técnicas para sensibilizar a busca no Google e impactar as métricas de audiência. São

TV Gaúcha x TV Guaíba

Antônio Britto, jornalista, ex-governador e ex-ministro da previdência, colega dos primeiros anos de profissão, lembrou em recente vídeo sua contratação pela TV Gaúcha em 1978.

Globo erra na escala de narradora

A web pode ser cruel para quem desempenha atividade pública e está exposto a avaliações nem sempre procedentes. Foi o que aconteceu com a narradora

O rádio vive

A coluna, sempre que possível, gosta de acompanhar a audiência de rádio. Embora não sejam dados superlativos como entre os portais de internet, revelam a

Ídolos de barro

Difícil ter ídolos hoje em dia. Na música a safra é terrível. Com raras exceções, as letras são pobres, óbvias, cantoras se destacam pelas roupas

Uma opinião isenta, por favor

Está cada vez mais difícil encontrar uma opinião isenta sobre fatos do nosso dia a dia. Nunca se sabe se opinião que lemos ou escutamos