Portal Making Of

A estreia do Tá na Hora do SBT

Foto: Reprodução/SCC SBT

O SBT enfim estreou ontem, 18, os programas de final de tarde chamados “Tá na hora”, o nacional, com Marcão do Povo e Cristina Rocha, e do SCC local com Clayton Ramos e Gabriely Ravasco.

O produzido em São Paulo soou como um “revival” do lendário “Aqui e agora”, com apresentadores agitados e gritões, matérias polêmicas, um sujeito do Paraná batendo com um chinelo na mesa e muita vontade de fazer sensacionalismo.

O “Tá na hora” local, por isso, pareceu melhor do que o que antecedeu, embora alguns momentos ficasse em dúvida se entrava no modelo popularesco, quando na abertura Clayton Ramos agradeceu a família dono do canal e a coordenadora de jornalismo ou quando fez descer do alto uma buzina. Para que mesmo?

Outra ação que ficou sem a devida explicação ou utilidade foi a introdução no estúdio de uma geladeira customizada com o logo do programa. Não deu pra entender o qual a utilidade do eletrodoméstico.

O SCC apostou em quatro matérias ao vivo – número que não é habitual no canal – uma reportagem pré-gravada em Biguaçu e uma produção prévia do própria Clayton sobre o pessoal em situação de rua gravado à noite. Também levou ao estúdio os PMs que ajudaram a encontrar um garoto perdido.

Teve o comentário do jornalista Roberto Azevedo, que entrou na cota do conteúdo relevante. Anunciaram que ele voltaria uma segunda vez, o que não aconteceu provavelmente por falta de tempo.

O programa ainda teve seções dedicada ao esporte – pareceu espaço demais, à comunidade e aos pets.

O “Tá na hora SC” durou mais de uma hora e conseguiu manter o ritmo. O desafio agora é produzir o segundo programa e não vacilar sobre qual é o foco do conteúdo.

Os colunistas são responsáveis por seu conteúdo e o texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal Making of.

Compartilhe esses posts nas redes sociais:

Ídolos de barro

Difícil ter ídolos hoje em dia. Na música a safra é terrível. Com raras exceções, as letras são pobres, óbvias, cantoras se destacam pelas roupas

Uma opinião isenta, por favor

Está cada vez mais difícil encontrar uma opinião isenta sobre fatos do nosso dia a dia. Nunca se sabe se opinião que lemos ou escutamos

Vacilos em áudio e vídeo

Eliane Cantanhêde tem 71 anos e uma longa carreira nos principais jornais brasileiros, entre eles o Estadão, para quem escreve atualmente. Também participa todas as

O legado Bonner

William Bonner se despediu de Porto Alegre, ontem, depois de dez dias apresentando o Jornal Nacional ao vivo da redação da RBS TV. Foi uma

Acima de toda a chuva

Nunca a estátua do Laçador, altivo, olhando firme para o horizonte, teve tanto significado como agora. Ele representa o gaúcho neste momento trágico, assolado pelas

SOS Rio Grande

Uma imensa onda de solidariedade se juntou aos gaúchos nos últimos dias com as chuvas e as cheias de vários rios – e com certeza

Meu celular, por favor

Acorda com o alarme do celular. Abre o X, ou Tik Tok, Instagram. Verifica o WhatsApp a procura das últimas mensagens. Se sobrar tempo, consulta

A chinelada de Gabeira na apresentadora

Os apresentadores da manhã na Globo News voltaram a agitar as redes sociais, depois que Daniela Lima foi retrucada por Fernando Gabeira na semana passada.

Leilão do 5G começa hoje

No dia 27 de outubro, foram recebidas 15 propostas elaboradas por operadoras de telecomunicações e provedores regionais.