18.2 C
fpolis
18.5 C
fpolis
sábado, 25 junho, 2022

Jornalismo de apartamento

Últimas notícias

[ad_1]

Jornalismo de apartamento

Imagem: pngwing

A pandemia não terminou, mas a necessidade de cuidados extremos no pior da crise, acabou gerando um hábito questionável: repórteres, colunistas, comentaristas passam boa parte do tempo enclausurados em casa.

Há medo de conviver com a sociedade e ouvir quem precisa circular nas ruas, nas praias, no trânsito, nos shoppings.

Os repórteres são figuras estáticas, postados com um fundo qualquer, dizendo um texto de internet ou que a produção entregou. Não há reportagem em ação.

Colunistas e comentaristas interagem pouco com as fontes e muitos se baseiam demais em releases. E as vezes são citados pelos repórteres como fontes, numa alimentação viciada em busca de clics em portais.

O imobilismo se tornou um vício.

Um dos bons repórteres de TV que atuava por aqui, Fabiano Marques, subia o Morro da Cruz de ônibus mesmo de terno e gravata. E a quem lhe perguntava o motivo respondia: “repórter que não anda de ônibus não é repórter”.

Era que ele buscava material para ilustrar seu trabalho. Óbvio nem sempre, mas o tempo necessário para saber o que o povo estava pensando. E precisando. Hoje, parece algo distante, não apropriado para quem pensa como um velho personagem do humorista Chico Anísio cujo objetivo era apenas estar na tela e fazer foto para o Instagram.

 

Que pena, Band!

A Band foi audaciosa ao comprar com exclusividade a final do Mundial de Clubes, em Abu Dhabi, e foi líder no Ibope em todo o Brasil sábado passado. Mas, já não foi tão eficiente ao microfone. Nas quartas de final, a narração foi de Sérgio Maurício, bom de Fórmula 1, ruim de futebol, e o comentário com sotaque caipira do ex-jogador Neto.

Na final, o comentário ainda foi pior, do ex-jogador Edmundo, e a narração de Ulisses Costa, em estilo mais apropriado para o rádio. Tudo recheado de erros de pronúncias e de interpretação de jogo diferente do que os expectadores estavam vendo.

Se a Band tem a intenção de ser realmente top em esportes, vai ter que investir mais em profissionais de microfone.

 

Globo ignorou

Como faz habitualmente com a Fórmula 1, a Globo praticamente ignorou o Palmeiras no Mundial. É algo realmente a lamentar, pois deixa de lado a missão de informar seu público para cuidar do seu próprio umbigo. E não adiantou fazer de conta que não havia mundial de clubes tal o tamanho da audiência da Band.  

 

O novo Mick Jagger

 

Debate

A rádio CBN Diário anda judiando do Debate Diário, que já enfrenta o desafio se ser relevante para as 11 horas da manhã. São tantos os intervalos comerciais, sorteios, apostas em resultados e espaço para o ouvinte, que os comentaristas estão na posição secundária de discutir futebol.

 

Futuro de Kamila!


Reprodução/Youtube

O comitê olímpico decidiu nesta segunda-feira, 14, retirar a suspensão preventiva de Kamila Valieva e ela está liberada para competir nas Olimpíadas de Inverno de Pequim. A russa de 15 anos deu um verdadeiro show de graça, ao dançar a música In Memoriam, de Kirill Richter. Foi a primeira vez que uma patinadora conseguiu dar um salto quádruplo.

Kamila, ao competir ainda na Rússia em dezembro do ano passado, testou positivo para uma substância vasodilatadora. Há versões e contradições entre os dirigentes sobre o caso, mas se abstrairmos os fatos não há como não admirar o que Kamila fez na pista de gelo. 

[ad_2]

Source link

Claiton Selistre
Publisher, colunista e owner do Portal Making Of, é jornalista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Foi diretor de Jornalismo por 25 anos da RBS TV, TVCom e Rádio CBN/Diário, além de coordenador do comitê editorial da RBS em Santa Catarina. Antes atuou na Rádio e TV Gaucha do grupo RBS e em redações de jornal, rádio e tv do grupo Caldas Jr. em Porto Alegre. Foi também repórter da na Sucursal do Jornal do Brasil. Planejou e Coordenou coberturas multimídia nas Copas do Mundo de Futebol na Alemanha, Argentina, Espanha, México, Itália, Estados Unidos, França e Japão/Coréia. Dirige a Making of há sete anos.
Mais notícias para você
Últimas notícias

Primeiro livro sobre dança contemporânea voltado para crianças em SC

Não é possível medir com exatidão os resultados de um projeto cultural porque há sempre uma imensidão entre os...
.td-module-meta-info { font-family: 'Open Sans','Open Sans Regular',sans-serif; font-size: 14px !important; margin-bottom: 7px; line-height: 1; min-height: 17px; } .td-post-author-name { font-size: 14px !important; font-weight: 700; display: inline-block; position: relative; top: 2px; }