17.3 C
fpolis
17.3 C
fpolis
quinta-feira, 26 maio, 2022

COPO CHEIO

Daniel Zimermann/CBC/Divulgação
Últimas notícias

Blumenau recebe esta semana um dos maiores festivais cervejeiros do país. A 15ª edição do Festival Brasileiro da Cerveja começa na quarta-feira, dia 04 e vai até o sábado, 07 de maio. São 80 opções de chopp, além de lanches e comidas de boteco, e mais18 bandas de rock, pop, reggae, blues e MPBOs ingressos podem ser adquiridos neste link

“O Festival Brasileiro da Cerveja é um dos principais fomentadores da cultura cervejeira do nosso país“, destaca o presidente da AblutecDevelon da Rocha, que organiza o evento.

Paralelo ao festival ocorre a Feira Brasileira da Cerveja, que deve apresentar novidades em equipamentos para produção, insumos e embalagens. 

CBC/Divulgação

Alguns dos rótulos que vão ser consumidos no Festival foram avaliados e premiados no Concurso Nacional da Cerveja (foto)que ocorreu em março – pela primeira vez, descolado do Festival. 

Entre as três melhores cervejas do Brasil duas catarinenses: A CraftLab Grodziskie, da Cerveja Blumenau, levou medalha de ouro. O estilo é popular na Polônia e produzido há mais de 700 anos. medalha de prata do Concurso foi a Catharina Sour de Caju e Pitanga da Cervejaria Unika, de Rancho Queimado.

O evento reuniu 3.635 amostras inscritas de 537 cervejarias de 21 estados do país, o maior número em dez edições. Os rótulos foram avaliados por 106 especialistas de 21 países, escolhidos por sua experiência e conhecimento da bebida.

 

VINHO = CERVEJA

Sonoma/Reprodução

A Revista Exame analisou tendências de consumo, juntou com dados macroeconômicos que resultaram em seis tendências para o mercado de vinhos em 2022. Algumas das possibilidades já apontavam no horizonte há algum tempo como a coluna antecipou (bebidas prontas, menor álcool, valorização do produtor local…), mas parece que vão ganhar força neste ano. 

Um dos pontos da pesquisa é novo e chama atenção porque provoca uma disrupção na maneira de acondicionar e servir vinho. São iniciativas como o projeto Tão longe, tão perto que serve vinhos em torneiras e em garrafas pet/growler (foto)tal qual é feito com o chopp. A distribuição é feita por aplicativo na Grande São Paulo, em restaurantes e através de parceiros como a Sonoma Brasil

O modelo valoriza produtores locais, desmistifica a ideia de que vinho bom é vinho importado, e ainda consolida a imagem de que beber vinho não precisa ser algo formal ou aristocrático.

 

O MELHOR TINTO 

Descorchados/Reprodução

Santa Catarina e o Rio Grande do Sul são os principais produtores de vinho do país. Mas o melhor vinho tinto brasileiro não é gaúcho, nem catarinense. Segundo o Guia Descorchados 2022, é mineiro, da região da Serra da Canastra. 

O Sabina 2021 (foto) é produzido pela Sacramentose passa por uma logística incrível entre os parreraise a garrafa. A colheita é feita no inverno, ao contrário da vindima tradicional que ocorre no verão da região Sul. Depois disso as frutas enfrentam quase 1.600 kms em caminhão refrigerado, para chegar a Caxias do Sul. A vinificação é feita com dois terços dos cachos ainda inteiros e o vinho não passa por barrica de madeira. 

As notas de avaliação descrevem um vinho queapresenta uma fruta limpa e de qualidade, seguida de notas de especiarias, defumado, de ervas e florais. Fresco e cheio de vivacidade, tem acidez penetrante, taninos firmes e de ótima textura e final persistente e refinado.

A relação dos demais vinhos brasileiros, argentinos, uruguaios e chilenos (entre outros países) está disponível no link

 

CUSTO/BENEFÍCIO 

Reprodução Instagram

E quem acha que um bom vinho precisa ser caro, precisa rever seus conceitos. O renomado crítico norte-americano James Suckling, além de avaliar os melhores de cada casta/safra/país, também procura indicar a melhor relação custo/benefício. 

O El Enemigo Semillon 2019 apareceu em 5º lugar na lista. O Clos de los Sietesafra 2018, ficou na 27ª posição (foto) e o Kaiken Malbec Aventura 2019 na 44ª colocação. O Top 100 Value Wines of 2021, avalia vinhos de até 35 dólares (algo em torno de (R$ 170). No link acima, além dos vinhos mais bem avaliados, é possível ver a nota atribuída a cada amostra, assim como as notas sensoriais atribuídas durante a avaliação.

O mesmo James Suckling relacionou recentemente os melhores Cabernet Sauvignon chilenos, com preços abaixo de US$ 25 (aproximadamente R$ 123). Na lista nomes conhecidos como Concha y Toro, De Martino e Santa Carolina. Mais detalhes no link.

Jefferson Douglas da Silva
Jornalista com especialização em Gestão de Marcas, tem mais de 30 anos de experiência em telejornalismo, comunicação corporativa e governamental. Estuda o setor de bebidas desde 1995, tendo formação em coquetelaria (Senac), produção de cerveja artesanal (Escola Superior de Cerveja e Malte) e produção de gin (Inovbev/Esalq). É sommelier de cachaças (Inovbev/Esalq), sommelier de gins (Inovbev/Esalq) e vem se aperfeiçoando no setor de vinhos e espumantes (Enocultura/WSet). Desde 2018 escreve no Portal Making Of sobre ações de marketing do setor de bebidas, curiosidades do mercado (local, nacional e mundial) além de inovações e tendências na área de alcoholic beverages.
Mais notícias para você
Últimas notícias

Com vibração de Gean, Topázio e Bornhausen se filiam no PSD

Partido que já definiu o apoio ao ex-prefeito Gean Loureiro, pré-candidato do União Brasil ao governo, o PSD estendeu...
.td-module-meta-info { font-family: 'Open Sans','Open Sans Regular',sans-serif; font-size: 14px !important; margin-bottom: 7px; line-height: 1; min-height: 17px; } .td-post-author-name { font-size: 14px !important; font-weight: 700; display: inline-block; position: relative; top: 2px; }