18.6 C
fpolis
18.6 C
fpolis
quinta-feira, 19 maio, 2022

A HORA DO RUM

Últimas notícias
A HORA DO RUM

O gin continua fazendo sucesso. Mas não se engane, pode ser por pouco tempo. A indústria de bebidas avisa que a próxima tendência do segmento é o RUM.

Pesquisa da consultoria inglesa JefferiesInternational, explica que o principal motivo seria o boom no mercado de coquetéis e uma reconquista da imagem de bebida “refinada”. Só no Reino Unido o aumento no consumo foi de 7,5% entre 2017 e 2018, quase o dobro do gin. O rum branco é o mais consumido, mas os analistas dizem que o crescimento mais significativo é nas vendas de rum saborizado ou com especiarias.

Produzido desde o século XVII a partir da fermentação alcoólica de melaço, o rum é produzido principalmente no Caribe e tem de 35 a 55% de teor alcoólico. É uma bebida versátil e principal ingrediente de drinks famosos como mojito, daiquiri e cuba libre. Também pode ser envelhecido, dando origem a runs complexos que rivalizam em preço e qualidade com excelentes cachaças, whiskys ou bourbons.

O ÍCONE


Bacardi/Divulgação

O rum mais popular do planeta é um velho conhecido dos brasileiros: o Bacardi. A história da bebida começou com o jovem espanhol Facundo Bacardi Massó, que se mudou para Cuba em 1927. Lá ele conheceu o rum jamaicano (mais alcoólico e rústico) e desenvolveu uma maneira de suavizar o sabor e amenizar os efeitos da indesejada ressaca provocada pela bebida. O rum ficou mais palatável e garantiu fama ao empreendedor que, em 1862, adquiriu uma pequena destilaria repleta de morcegos (eis a explicação da logomarca) e deu início a produção industrial da bebida.

Em 1959 os herdeiros de Massó tiveram que fugir do país por conta da Revolução Cubana. E passaram a gerir os negócios a partir dos Estados Unidos, onde já possuíam um escritório de negócios e construíramuma destilaria conhecida como “Catedral do Rum” (foto), mais precisamente em Porto Rico (quem se interessar em conhecer, pode fazer visitas guiadas a partir de R$ 60).


Bacardi/Divulgação

Além do tradicional Carta Branca, o mais famoso e consumido, a empresa investe em runs envelhecidos por 4, 8, 10 ou mais anos (foto). Há também séries limitadas, como a garrafa preta. Considerado o mais raro e luxuoso rum da Bacardi, o Gran Reserva é um blend que mescla runs novos e envelhecidos, selecionados a cada ano pelo mestre destilador. A garrafa custa em torno de R$ 700.


Bacardi/Reprodução

Desde a década de 1990 a empresa produz uma infinidade de variações da bebida, para atender diferentes mercados e públicos (foto): Limón, Spice, Coconut, O, Silver, Peach Red, Big Apple, entre outros. Sem contar coquetéis prontos como o mojitoe cuba libre.

_______________

NOVIDADES NO MERCADO


Brands for Fans/Divulgação

A banda de metal Judas Priest decidiu comemoraros 50 anos de carreira com o lançamento de um rum produzido sob encomenda e com um “toque de maldade”. A explicação: a bebida teria notas de baunilha, açúcar queimado, baunilha e pimenta. O item foi produzido em parceria com a empresa Brands for Fans e, por enquanto, será vendido apenas na Suécia.

Já a destilaria nicaraguense Flor de Cana vai comemorar os 130 anos da empresa com o lançamento de um rum de 30 anos. São apenas 411 garrafas que devem chegar ao mercado por aproximadamente US$ 1.600.


Captain Morgan/Divulgação

O famoso Captain Morgan está lançando nos Estados Unidos uma edição limitada e saborizadacom gengibre. O produto é levemente apimentado e tem como foco o mercado natalino. Segundo a empresa, a bebida é perfeita para o inverno e harmoniza “perfeitamente” com pão ou biscoito de gengibre. A garrafa custa em torno de US$ 21.

A coluna já falou sobre a tendência, especialmente no mercado norte-americano, de produzir cerveja sem álcool, mas com THC. Como era de se imaginar, a novidade também chegou ao mercado do rum. Nas Ilhas Jersey uma destilaria local tem usado uma produção própria de maconha para produzir o Jersey Hemp. O rum começa a ser vendido no comércio local, mas já há pedidos da Suécia, Rússia, Nova Zelândia e Caribe.


Engenho do Norte/Divulgação

Já na Ilha da Madeira, em Portugal, uma destilaria local decidiu mergulhar ao mar um lote com 605 garrafas de rum já envelhecido por seis anos. A intenção foi garantir uma característica especial ao rum, que deve mudar algumas características com a falta de luz, temperatura e a pressão do mar a 10 metros de profundidade. O vídeo mostra um pouco da experiência realizada no começo do ano.  

_______________

CURIOSIDADES


 Casa Clement/Divulgação

 

O rum mais caro do mundo foi vendido em leilão, em 2017, por 100 mil euros. A garrafa (foto) tem uma rolha fabricada com 200 gramas de ouro 18 quilates e com quatro quilates de diamantes. A embalagem é de cristal Baccarat e armazena um raro rum da Casa Clement, fabricado em 1966 na Ilha da Martinica.

 

A mais antiga destilaria do mundo, ainda em funcionamento, é a Mount Gay Rum, inaugurada em 1703. A empresa fica em Barbados e exporta a bebida produzida para 110 países.

 

Outras curiosidades do mundo do rum, registradas pelo Guiness Book, o Livro dos Recordes: a maior degustação coletiva de rum envolveu 786 pessoas e ocorreu na Colômbia, em 2015. E o rum mais antigo do mundo é datado de 1780 e teria sido produzido em Barbados.

_______________

PRA PROVAR


 DomBar/Divulgação

Quem ficou interessado no assunto, uma excelente dica. Além da oferta cada vez maior de drinques prontos, bons bares de todo país oferecem uma gama grande de coquetéis à base de rum. O mais recente (e bacana) talvez seja o DomBar, inaugurado há pouco mais de uma semana em Curitiba.

A carta conta com mais de vinte drinques autorais. Muitos deles elaborados por Gabriel Bueno, que ficou em quarto lugar na etapa brasileira do World Class Competition 2019.

_______________

RECEITA


Absolut/Divulgação

Se não dá para ir a Curitiba, que tal se arriscar em casa com um drink à base de rum? A coluna recomenda testar a receita do Mai Tai. O drink foi criado entre os anos de 1930 e 1940 em Los Angeles, nos Estados Unidos. E leva, além de rum, ingredientes relativamente simples como licor de laranja, suco de limão, xarope de açúcar e cereja. No site da Absolut, tem um vídeo que mostra a forma de preparo.  

Por hora era isso. Um brinde e até a próxima!

Jefferson Douglas da Silva
Jornalista com especialização em Gestão de Marcas, tem mais de 30 anos de experiência em telejornalismo, comunicação corporativa e governamental. Estuda o setor de bebidas desde 1995, tendo formação em coquetelaria (Senac), produção de cerveja artesanal (Escola Superior de Cerveja e Malte) e produção de gin (Inovbev/Esalq). É sommelier de cachaças (Inovbev/Esalq), sommelier de gins (Inovbev/Esalq) e vem se aperfeiçoando no setor de vinhos e espumantes (Enocultura/WSet). Desde 2018 escreve no Portal Making Of sobre ações de marketing do setor de bebidas, curiosidades do mercado (local, nacional e mundial) além de inovações e tendências na área de alcoholic beverages.
Mais notícias para você
Últimas notícias

Congresso ACAERT tem início neste domingo com palestra de Hamilton Mourão

O 18º Congresso Catarinense de Rádio e Televisão, que a Acaert - Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e...
.td-module-meta-info { font-family: 'Open Sans','Open Sans Regular',sans-serif; font-size: 14px !important; margin-bottom: 7px; line-height: 1; min-height: 17px; } .td-post-author-name { font-size: 14px !important; font-weight: 700; display: inline-block; position: relative; top: 2px; }